"Espaço para a Manifestação Artístico-Cultural e Convivência dos Interessados em Compartilhar Experiências, Opiniões e Trabalhos Afins"

domingo, novembro 28, 2010

Yatta!ko³ - Kaikan: Cosplay Plural


IMPORTANTE: O link com as fotos usadas neste vídeo está disponível aqui. A senha para abrí-lo é "oquesobraeaobra".

"O Brasil é um caldeirão de culturas". Este simpático e batido clichê é de conhecimento comum não só de qualquer brasileiro nativo, como de qualquer visitante ou agregado que aporte à nossa linda babel antropológica.
Porém, é fato que em nenhum outro lugar deste ensolarado país continental essa verdade se mostra de maneira tão explícita quanto na minha feliz e mui querida Assis; uma bucólica e pitoresca cidade no interior do oeste paulista onde a hospitalidade é uma regra e a fraternidade um prazer inerente àqueles que por aqui mitigam no palmilhar cotidiano!

Uma prova adicional disso foi o último festival de cultura japonesa, realizado na última semana no Clube Nipo-Brasileiro, Kaikan. Na ocasião o evento abrigou também - além do tradicional concurso de personificações dos personagens de animê - algumas manifestações típicas da cultura japonesa:
1 - Logo na entrada, os visitantes poidam ter o seu espírito tomado de enlevo pela maviosa cantilena das flautas Shakuhachi, ou simplesmente, Fuê. Até mesmo o nosso venerável Sir Janus Maxwell deixou por um momento o seu sisudo trabalho técnico para também interagir e desfrutar esta música celestial com alguns dos exímios artistas daquele evento plural tão simpático!
2 - A oficina de Shodô propiciava aos visitantes do evento um franco contato com uma das mais nobres artes da cultura Japonesa: A caligrafia que, além de seus muitos significados emblemáticos já foi utilizada como treinamento e estratégia de guerra nos tempos primordiais desta cultura milenar. A tradução literal do caractere Shodô - caminho da escrita - transmite a filosófica idéia da paciência e da disciplina como instrumento para se trilhar o tortuoso caminho da existência humana. HAI, SHODÔ!
3 - Estavam presentes os obrigatórios grupos de Taiko; os tambores guardadores dos segredos dos comandos marciais nos corpos coletivos militares. Pois o Taiko que hoje nos deleita com sua batida forte e ritmo sincronizado, nos hipnotizando com sua coreografia pujante e suas palavras de ordem inquitantes de uníssono em coro; teve de fato a sua origem nos mais remotos tempos das guerras tribais, como agente rítmico marcador das evoluções das batalhas dos reinos em conflitos e dos senhores feudais. Participaram desta modalidade de apresentação, os reconhecidos grupos Iki Wadar Ko, originário de minha Assis e o grupo Ryu Wadar Ko, da cidade de Lins. E um rico detalhe plural me chamou sobremaneira a atenção: Nestas apresentações pudemos observar toda a beleza e graça dos belos representantes das mais diversas etnias, na mais perfeita sinergia interacial! Esta apresentação culminou com o Taiko em absoluta interação com o público presente, numa espécie de "brincadeira de roda", com todos nós em volta do tambor milenar que marcava o rítmo da dança, nos transportando a tempos de remotas e vibrantes aventuras!
Sim, mas, que maravilhosa diversidade de convivencia pacífica! Por todo o perímetro do evento se podia observar com toda facilidade, os representantes nativos das mais diversas tribos plurais e de orientações mil, na feliz babel multicultural Assisensse, desde capoeristas reservados e discretos, até os simpáticos e interativos casais Otaku!
4 - E como não poderia deixar de ser num evento cosmopolita, tivemos a gratissíssima satisfação de desfrutar o prazer ímpar de Street Dance como manifestação de uma atitude socio-política, na sensualíssima beleza das bailarinas da A.M.A. Academia, entre outras tantas manifestações plurais neste momento singular. E VIVA A CALEIDOSCÓPICA DIVERSIDADE CULTURAL DE MINHA GENTE!
5 - E por fim, uma grande varieade de comidas e bebidas típicas como sakê e o tradicional Yakissoba, com o qual - como bem mostra a última imagem do vídeo - se deliciou o meu Cavaleiro predileto, Sir Janus Maxwell, nosso "web designer-mor", responsável por toda a exímia técnica da pesente postagem. Texto: Max Costa

4 comentários:

LISON COSTA disse...

Que Post Fantástico!
Amigo MAX COSTA:
A sua narrativa está hiper brilhante, como lhe é de praxe, e a produção do vídeo impecável. De parabéns o produtor, Sir Janus Maxwell, excelente o áudio.
Verdadeiro banho de cultura!
Contagiou. Mexeu. Valeu.
Parabéns por mais um magnífico Post!
Abraços,
LISON.

CavaleiroVirtual disse...

Salve, nobilíssimo e dileto Confrade, Cronista-mor da Terra-Brasílis!

Antes de tudo peço perdão pelo demorado silêncio que embora não seja proposital, tem sido de difícll administração por parte desse seu Confrade ausente!

Fico realmente muito lisonjeado por suas palavras sempre taõ cheias de sinceridade e incentivo, são pessoas como você e tantos outros maravilhosos amigos dihittianos que nos fazem arrebanhar forças inexistentes, para continuar aqui, a dividir com outros, as nossa opiniões e impressões, ainda que as mesmas não estejam à altura de seus abalizados escrutínios.

Porém, se me permitirem a sorte do acaso e leviana inspiração, galopará á brida solta novamente pela indecifrável blogosfera, o Cavaleiro Virtual, este vosso amigo e admirador vosso, dividindo com todos quanto possível, o teor esquizofrênico do seu coração ancioso e o produto capenga de sua pena torta e tortuosa!

Eu te deixo a sinceridade do meu abraço mais fraterno!

Este sempre teu confrade: Max Costa

Sissym disse...

Max, eu sei sim, tanto assim que algumas vezes eu compro um matinho proprio para gatos. Mas comer espinhos.... não sei com não se machuca. Eu reparei que ela só brinca, raramente come, contudo estraga minhas plantinhas.

Saudades de voce, amei a surpresa!


FELIZ NATAL a voce tambem e FELIZ 2011!

Anônimo disse...

Apareça, nobre amigo Max!
lisboademoraes@gmail.com

Postar um comentário

Template - Dicas para Blogs