"Espaço para a Manifestação Artístico-Cultural e Convivência dos Interessados em Compartilhar Experiências, Opiniões e Trabalhos Afins"

segunda-feira, maio 04, 2009

RÉQUIEM PARA UM IMORTAL!

Uma homenagem póstuma ao dramaturgo Augusto Boal!
O paradoxo contido no titulo da postagem é proposital; RÉQUIEM (canto Fúnebre) e IMORTAL (o que não morre jamais). É uma tentativa de evidenciar a discrepância existente entre, a não-valorização em vida de um trabalho meritório e o louvor tardio, - ainda que, justo – apenas ante o destino inevitável de todo ente vivente, a morte! Acredito que seja adequada essa singela homenagem em forma poética, não só pelo que há de Antropo-Socio-Político-filósofico em todo o seu trabalho voltado para o oprimido, enquanto ente-motriz da manifestação artístico-cultural inerente a cada um de nós, mas, principalmente e justamente porque toda a sua vida e maneira de viver foi e sempre será, uma demonstração e um exemplo vívido da mais linda e perfeita forma de arte: A ARTE DE VIVER! E quem, com um mínimo de sensibilidade, mirando tal vida, tal obra, tal arte e tal Morte, não perceberia nisto tudo, com a nitidez ofuscante e incandescente de um jorro vulcânico, a presença indelével e irrefutável, da deusa poesia?! Portanto, embora muito aquém, do imensurável mérito do Imortal Augusto Boal, eis aqui, em versos, as lágrimas e o tributo do Cavaleiro Virtual, este sofrível escritor de parca pena, o qual subscreve-se: Max Costa .

POST MORTEN
Quando tu, verme maldito,
No teu paladar funesto,
Banquetear-se com isto,
Que já é da alma o resto.

Quando teus irmãos maléficos,
Vierem me devorar,
Com seus prazeres necrófagos
Minha epiderme rasgar.

Quando vós, seres imundos,
Em vossa missão horrenda,
De sobreviver dos fungos,
E da podridão que é vossa prenda.

Quando já em vosso regresso,
Após terem me comido,
Nascerá então o verso,
Do poeta falecido!
Max Costa Jornal O PIONEIRO, Caxias, Maranhão, Outubro de 1989

6 comentários:

Sissym disse...

Max, realmente há um paradoxo no título, totalmente esclarecedor no excelente texto que homenageia quem se admira.

Vc sabe usar bem as palavras, fico curiosa, quer saber?!

bjs

CavaleiroVirtual disse...

Salve, querida Confrade!
Não é maravilhoso quando percebemos que, nosso leitor abstraiu a subjetividade implícita num texto por nós produzido? Sua sensibilidade refinada me encanta!
Quanto ao traquejo com as palavras, caríssima, reporto à misericórdia de Deus, a quem aprouve conceder a este autodidata claudicante, o don de produzir esta sofrível literatura, a qual imodestamente ouso chamar: ARTE!
Muito obrigado por manifestar sua opinião!
Um abraço carinhoso!
Deste sempre teu Confrade: Max Costa

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Max, visitei seu blog pela primeira vez. Parabéns pelo texto homenageando o Boal. Voltareimais vezes
Um abraço

CavaleiroVirtual disse...

Salve, Confrade!
A Confraria Virtual se sente muito honrada com sua visita! E também, recompensada por suas felicitações, pois, o artista, vive de aplausos!
Um abraço.
Deste Confrade: Max Costa

pollicino disse...

I have visited your interesting blog.Do You want visit the my blogs for an exchange visit?Grazie.
http://internapoli-city.blogspot.com/

CavaleiroVirtual disse...

Salve, Confrade!
A Confraria Virtual se sente honrada com a sua visita! Na realidade, o site ainda está em construção, pois, não tenho muita experiência com o universo virtual. Mas, continuaremos a evoluir continuamente, para a satisfação de nossos amigos visitantes.
Um abraço
Deste Confrade: Max Costa
P.S.: Poderia por favor, numa próxima ocasião, postar o seu comentário em português? Este seu confrade nada entende do idioma de sangue azul! rsrsrs

Postar um comentário

Template - Dicas para Blogs